Atualização dos preços máximos dos combustíveis - fevereiro 2020

Agência Reguladora Multissetorial da Economia atualiza os novos preços máximos dos combustíveis, a vigorarem a partir das 00 horas do dia 1 de fevereiro de 2020, ao abrigo do disposto na legislação em vigor e no Decreto-Lei n.º 19/2009 de 22 de Julho, que define os princípios orientadores e a fórmula de cálculo dos preços máximos de venda ao consumidor final.

Conforme a nova tabela, em anexo, o Gasóleo Normal passa a ser vendido a 101,80 ECV, a Gasolina passa a 125,90 ECV; o Gasóleo para Electricidade passa a 86,60 ECV; o Gasóleo Marinha passa a 73,30 ECV; o Fuel 380 passa a 51,60 ECV  e o Fuel 180 passa a 58,10 ECV. O Gás butano  passa a ser vendido a granel por 133,10 ECV, sendo que as garrafas de 3Kg passam a ser vendidas a 379,00 ECV; as de 6 Kg passam a 799,00 ECV; as de 12,5Kg passam a 1664,00 ECV e as de 55Kg passam a 7.322,00 ECV.

De acordo com os dados publicados no Platts European Marketscan e LPGasWire, os preços médios dos combustíveis nos mercados internacionais, cotados em USD/ton, apresentaram subidas ligeiras durante o mês de janeiro (de 0,28%) relativamente ao mês de dezembro.

Assim, no mercado interno, os preços do Gasóleo Normal, Gasóleo Eletricidade e Gasóleo Marinha diminuiram 0,10%, 0,12% e 0,145%,respectivamente; os preços do Butano, da Gasolina e do Petróleo aumentaram 3,58%, 3,96% e 2,70%, respectivamente, e, os preços de Fuelóleo 180 e Fuelóleo 380 aumentaram 10,04% e 13,41%, respetivamente. Isto corresponde a um aumento médio dos preços dos combustíveis de 4,17%.

Comparativamente ao período homólogo (fevereiro de 2019), a variação média dos preços dos combustíveis corresponde a um aumento de 3,57% e, relativamente à variação média ao longo do ano em curso, ela corresponde a um aumento de 1,99%. 

O preço do petróleo no mercado internacional apresentou alguma volatilidade durante o mês de janeiro, registando uma tendência de descida (1,64%) relativamente ao mês de dezembro. A normalização do clima de tensão entre os EUA e o Irão, o anúncio do cenário de excesso de oferta do petróleo para o 1º semestre de 2020 e o pessimismo dos mercados em relação aos efeitos que o coronavírus possa vir a ter sobre actividade económica a nível mundial pressionaram em baixa as cotações do petróleo.

O mês de janeiro ficou marcado ainda pelo ataque aéreo dos EUA que vitimou um dos principais responsáveis do regime iraniano e pela assinatura da primeira fase do acordo comercial entre os EUA e a China, situações essas que inibiram descidas mais acentuadas das cotações.

A cotação do último dia (útil) do mês de janeiro do câmbio EUR/USD, tendo como referência a BLOOMBERG  (14 horas no horário de Frankfurt), evidenciou uma depreciação do euro face ao dólar dos Estados Unidos, em 1,62% (1,1048), comparado ao câmbio do último dia do mês de dezembro e constitui um dos factores da subida dos combustíveis no mercado interno, tendo em conta que o petróleo é negociado em dólares.

Portanto, a evolução dos preços dos produtos petrolíferos no mercado internacional, aliada à depreciação do euro face ao dólar americano e ao aumento do Premium para fornecimento de combustíveis, determinaram os preços dos combustíveis, ora fixados,  no mercado nacional.

Os novos valores do parâmetro CP (Custo de Aquisição do Produto) e os correspondentes preços máximos de venda ao consumidor final dos combustíveis regulados passam a vigorar de 01 a 29 de fevereiro de 2020, conforme a tabela, em anexo.

 Tabela de preços - fev.2020

 

Newsletter

Inscreva-se no nosso newsletter e receba as nossas actualizações.
Please wait