Novo Conselhode Administração apresenta-se aos colaboradores da ARME

O novo Conselho de Administração da ARME integrado por Leonilde Tatiana dos Santos, que preside e os administradores, João Tomar e Carlos Ramos, apresentou-se na última sexta-feira, 24, aos colaboradores para, entre outros assuntos, manifestar o seu total comprometimento em trabalhar em estreito dialogo e sintonia com todos, a fim de “construirmos uma entidade reguladora que dê particular atenção ao reforço da comunicação institucional, aos seus recursos humanos, à proteção do equilibrio económico-financeiro das reguladas, bem como defender os legitimos interesses dos consumidores”, garante a novel PCA.

Mas para atingir este desiderato, a nova presidente da ARME partilhou, para já, com os colaboradores, três grandes eixos orientadores que deve seguir o novo Conselho de Administração para o aprimoramento de uma gestão ética, estratégica e responsável da ARME, tendo sempre presente o primado da lei: “uma ARME que exerce as suas atribuições de forma aberta, ouvindo os consumidores e as populações; que dialoga com os operadores económicos nos termos da lei e, assim, velando pela proteção dos direitos e interesses legítimos dos consumidores e que assegura a proteção da sustentabilidade económico-financeira dos operadores”, sublinha Leonilde dos Santos.

O segundo pilar sobre o qual assenta o eixo estratégico da equipa de gestão liderada por Santos tem que ver com o propósito de uma ARME moderna e desmaterializada, ciente da evolução tecnológica e legislativa em todos os seus sectores regulados, sem esquecer uma grande aposta na modernização e simplificação administrativa dos processos e procedimentos.

Finalmente, o terceiro compromisso deixado pelos novos membros do CA da ARME, aos colaboradores presentes e aos que assistiam, remotamente, tem que ver, justamente, com a motivação e valorização dos recursos humanos, através de uma política de formação, capacitação e resiliência, apostando fortemente no desenvolvimento de competências.

O reforço da comunicação institucional, com destaque para a comunicação interna, enquanto ferramenta que permite conhecer a ARME e identificar as suas características (histórica, visão, missões, valores, filosofia e políticas) deve, na perspetiva do atual Conselho de Administração, contribuir para melhorar a identidade e imagem positiva da reguladora. Pois, acredita o administrador João Tomar, que a forma como a instituição é avaliada lá fora, reflete a sua estratégia de comunicação interna. “Pedimos o engajamento de todos, para levar a cabo esta tarefa ingente de uma regulação económica justa e equilibrada do país”, reitera Tomar para quem a ARME é a casa de todos, onde os seus colaboradores devem sentir-se felizes e realizados.

Ao apresentarem-se, os colaboradores foram unânimes em felicitar o novo Conselho de Administração pela escolha e nomeação, formulando votos de sucessos e manifestando o seu total engajamento, em prol de uma ARME comprometida com os propósitos para os quais foi criada.